Redes Sociais:
Buscar por:

::Notícias::



Exposição sobre cinema catarinense divulga programação de filmes para grupos e escolas

A exposição Luz e Sombra: o Cinema em Santa Catarina, promovida pela Fundação Catarinense de Cultura por meio do Museu de Imagem e Som (MIS/SC), divulga a programação de filmes que serão exibidos para grupos e escolas durante o período de visitação da mostra. Interessados devem agendar previamente a exibição das produções pelo telefone (48) 3953-2329 ou pelo email mis.sc.fcc@gmail.com e mis@fcc.sc.gov.br, com Cristiane Ugolini ou Morena Porto.

A programação está dividida por faixa etária e duração dos audiovisuais. Para crianças de 5 a 10 anos serão oferecidos os curtas Aventuras da Ilha da Magia (de Rubens Beli); 53 Cartas (de Igor Pitta Simões); Cadê meu Rango? (de George Damiani); Campeonato de Pescaria (de Luiza Lins e Marco Martins) e O Mistério do Boi de Mamão (de Luiza Lins e Marco Martins). Ainda dentro da categoria curta-metragem, os adolescentes a partir de 14 anos poderão assistir a Nem o Céu, Nem a Terra (de Isabela Hoffmann Dummer); A Mão do Macaco (de Jefferson Bittencourt); Black Out, A Comédia do
Sinistro (de Marco Stroisch) e Cadê meu Rango? (de George Damiani).

Adolescentes maiores de 14 anos ainda terão a possibilidade de conferir o longa-metragem A Antropóloga, de Zeca Pires. Na programação de documentários, a garotada a partir de 12 anos poderá assistir às produções Celibato no Campo (de Cassemiro Vitorino e Ilka Goldschmidt); Cerveja Falada (de Demétrio Panaroto, Luiz H. Cudo e Guto Lima); É Bucha! 40 anos do Teatro Biriba (de Gláucia Grigolo e Renato Turnes) e À Luz de Schwanke (de Ivi Brasil e Mauricio Venturi).

Sobre a exposição

O Cinema no Estado como produção local e a história desde a chegada da primeira projeção, feita em 1897 na Praça XV de Novembro, em Florianópolis, são os temas da exposição Luz e Sombra: o cinema em Santa Catarina. A mostra fica até 14 de outubro na sala de exposições do MIS/SC, com entrada gratuita.

Sob curadoria do museólogo da FCC Renilton Roberto da Silva Matos de Assis, a exposição resgata as primeiras salas de projeção do Estado, surgidas entre 1900 e 1910 em Florianópolis e no Vale do Itajaí. Ainda dentro do aspecto histórico da exposição, o público poderá conhecer os filmes documentários do pioneiro Armando Carreirão, que mostram Santa Catarina nas décadas de 1940 e 1950.

Entre objetos que fazem parte do acervo, documentação e patrimônio do MIS/SC, estão na mostra pôsteres de alguns filmes premiados pelo Edital Catarinense de Cinema, dois projetores de 35 mm e um de 8 mm, videocassete, filmadoras, uma ilha de edição macintosh de 2001 (adquirida com recursos do edital de cinema), fotografias antigas, entre elas das gravações de O Preço da Ilusão e da primeira projeção em 3D de Santa Catarina, feita nos anos 1950, em Blumenau. O público poderá conferir também algumas raridades e objetos de colecionador, como toca-discos, vinis, discos de cera, um aparelho de televisão Telefunken, capas de LPs com trilhas sonoras de filmes que marcaram a histórica do Cinema mundial.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC